fique ligada!

Hi, what are you looking for?

Ligada nas DicasLigada nas Dicas

Notícias

Exposição ‘Gucci Cosmos’ apresenta criações mais icônicas da marca, em Xangai

exposicao-‘gucci-cosmos’-apresenta-criacoes-mais-iconicas-da-marca,-em-xangai

Gucci Cosmos acontece no West Bund Art Center, em Xangai, e fica em cartaz até 25 de junho (foto: Divulgação)
A exposição “Gucci Cosmos” dá um mergulho nos 102 anos da maison, mostrando como o poder da criatividade sempre pautou suas criações, ancoradas ainda pelo artesanato e pela tradição italiana. Concebida e projetada pela artista britânica Es Devlin e curadoria da crítica de moda italiana Maria Luisa Frisa, esta viagem lúdica pelo passado, presente e futuro da Gucci é apresentada em oito “mundos”, que reúnem tesouros do arquivo da marca, localizado no Palazzo Settimanni do século 15, em Florença, Itália.
“Oportunidade extraordinária para eu atravessar o universo da Gucci, mais uma vez, e contar sua história através das lentes sempre diferentes das roupas, objetos, elementos, pessoas e contextos que fizeram da marca uma pioneira icônica dentro da moda e cultura visual coletiva por mais de um século”, explica Maria. “A exposição é uma experiência imersiva na qual o relato de origem da marca e sua história são continuamente postos à prova pela imaginação do futuro.”
A Gucci sempre deixou seu lado criativo a guiar como forma de expressão, como conta Devlin. “A marca e sua história, ao longo do século passado, podem ser mapeadas por meio de uma capacidade de evoluir e, de forma mais ampla, de expandir a mutabilidade de nossa própria consciência e capacidade de fazer mudanças cognitivas”, explica a artista.
Crítica de moda italiana Maria Luisa Frisa e a artista britânica Es Devlin (Foto: Divulgação)
Cada mundo traça um aspecto diferente da Gucci, desde sua fundação em 1921 e suas inspirações e criatividade sempre renovadas – desde as ambições nascentes do fundador Guccio Gucci até o espírito pioneiro de seus filhos Aldo e Rodolfo, e os poderosos criativos, como Tom Ford, Frida Giannini e Alessandro Michele.
Tomando a metáfora visual das órbitas dentro do cosmos, a exposição transmite a atemporalidade do espírito visionário da label e como sua atração gravitacional cria e muda diálogos significativos e uma miríade de correspondências entre os designs icônicos da marca, suas mentes criativas e artesãos e a sociedade em geral.
A exposição “Gucci Cosmos” ocorre no West Bund Art Center, em Xangai, na China, e fica em cartaz até 25 de junho. Depois, a exposição percorrerá o mundo. Confira, abaixo, cada mundo apresentado na mostra:
Foto: Divulgação

Mundos
“Portals” conta a história do pai fundador da marca, Guccio Gucci, e as contínuas ressonâncias da marca em seu tempo quando jovem trabalhando como porteiro no hotel The Savoy em Londres. Ainda reúne ícones culturais da marca, como Jacqueline Kennedy Onassis, Princesa Grace de Mônaco, Diana, Princesa de Gales e embaixadores, como Chris Lee, Ni Ni, Lu Han e Xiao Zhan.
Foto: Divulgação
Zoetrope
Apresenta peças de arquivo como os ícones equestres da marca – o Horsebit, inventado por Aldo Gucci em 1953, e a icônica faixa verde-vermelho-verde, inspirada na tira que mantém firme a sela de um cavalo. Os visitantes acompanham o Horsebit, desde sua estreia em mocassins e uma versão redesenhada em 1955 – que aparece na bolsa de mesmo nome, criada em 2020 – até um cinto dos anos 1960, um vestido de lã e camurça, dos anos 1970, e bolsas de ombro desenhadas por Tom Ford.
Foto: Divulgação
Eden
O terceiro mundo dá vida ao conto de Flora, uma imagem requintada e delicadamente naturalista de plantas e fauna, de 1966. Encomendada por Rodolfo Gucci ao artista e ilustrador italiano Vittorio Accornero de Testa para um lenço de seda, criado para a princesa Grace de Mônaco, tornou-se o motivo condutor da coleção prêt-à-porter de 1981 da Gucci, que mais tarde ascendeu a arte de Tom Ford, Frida Giannini e Alessandro Michele.
Foto: Divulgação
Two
Os visitantes se deparam com um par de monumentais estátuas brancas de 10 metros de altura. Posicionadas como se guardassem a entrada de um antigo templo, simbolizam a crença pioneira da marca na moda sem gênero e sua capacidade de mudar ideias e comportamentos sociais. Projetadas em looping, imagens de ternos masculinos e femininos do passado e do presente da Gucci – a exemplo do célebre terno de veludo vermelho, criado por Tom Ford, em 1996, além de um xadrez desenhado por Frida Giannini e versões florais, de 2016, e outro da coleção Twinsburg, apresentada em 2022 por Michele.

Archivio
Para conhecer as origens das bolsas mais icônicas da marca, uma série de corredores em formato de labirinto lembram o arquivo Gucci, em Florença. Algumas gavetas se abrem para revelar o seu conteúdo, outras estão fechadas, entreabertas ou escondidas atrás de um vidro fosco, como se escondessem os seus segredos criativos. Inclui cinco as atemporais: Bamboo 1947, Jackie 1961, Horsebit 1955, Gucci Diana e a Dionysus.
Foto: Divulgação
Cabinet of Wonders
Um gabinete giratório de curiosidades, com três metros de altura, é preenchido com gavetas e compartimentos que deslizam mecanicamente para dentro e para fora – acompanhados por uma trilha sonora de respiração humana. Apresentando toda a gama de design da marca, ele contém tudo, desde um look da coleção Tom Ford 2001 com um bustiê de couro preto até um vestido de noite dourado Frida Giannini de 2006 e um vestido idiossincrático de Alessandro Michele de 2018, bordado com rendas, pérolas e miçangas.
Foto: Divulgação
Carousel
Desfile de 32 manequins, vestindo roupas Gucci dos anos 1970 até os dias atuais. Ao organizar esses looks completos – cada um de uma estação específica – não por cronologia, mas por cor e inspiração, “Carousel” abre conexões inteiramente novas, como uma dança através do tempo, e destaca a conversa criativa contínua da marca com sua própria herança e modernidade.
Foto: Divulgação
Duomo
A revolucionária cúpula do século 15, de Filippo Brunelleschi, para a catedral de Florença, surge duplicada – uma invertida sob a outra. No interior, desenhos e padrões do passado e do presente são projetados em direção à cúpula em uma experiência envolvente de son-et-lumière. O resultado é um espetáculo caleidoscópico em loop que também inclui flores inspiradas na Flora de Vittorio Accornero de Testa, para um final apropriadamente marcante para uma exposição que celebra os valores da marca.
Foto: Divulgação
O post Exposição ‘Gucci Cosmos’ apresenta criações mais icônicas da marca, em Xangai apareceu primeiro em Harper’s Bazaar » Moda, beleza e estilo de vida em um só site.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados

Lifestyle

Natural ou normal?!FreePik Quando nascemos, temos uma total aceitação do que somos… aos poucos, vamos tomando contato com impressões do meio externo sobre nós…...

Moda

Especialista explica como incorporar o brilho nos seus looks do dia a dia e transformá-los em produções fashion

Gastronomia

Conheça fatos interessantes e curiosidades sobre a pipoca, esse alimento tão amado por todos na hora de um cineminha

Lifestyle

Lixão do Atacama recebe primeiro desfile de moda para alertar sobre descarte incorreto de roupasMaurício Nahas A iniciativa faz alusão ao que o universo...